pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Europa, Aeroportos

Aeroportos – Espanha aeroporto de Teruel, como o de Beja não recebe passageiros

«Em Espanha, há um aeroporto que, tal como o de Beja, não recebe passageiros, mas ao contrário da infraestrutura aeroportuária alentejana, fatura milhões.

Na falta de voos, o aeroporto de Teruel converteu-se na maior plataforma de estacionamento, manutenção e reciclagem de aeronaves de toda a Europa. A Plata, Plataforma Aeroportuaria de Teruel, como a batizaram, tem clientes de 40 países. Portugal é um deles.
“O de Teruel não é um aeroporto convencional”, noticia a edição online do jornal El País. “Por aqui, só deambulam aviões, grandes e maiores de idade na sua maioria, desde a sua entrada em operações há sete anos. Este é um aeródromo único em Espanha, daí o seu êxito”, escreve ainda a publicação. 60% do empreendimento foi financiado pela Diputación General de Aragón. Os restantes 40% foram suportados pelo Ayuntamiento de Teruel.
Além de aviões portugueses e de 10 companhias aéreas, há aeronaves provenientes de países como a França, o Reino Unido, a Alemanha, a Rússia e até o Brasil no espaço que ocupa uma área de 340 hectares, emprega nove trabalhadores e fatura anualmente cerca de três milhões de euros. “Somos o único aeroporto de Espanha que se dedicou à atividade aeronáutica de uma forma inovadora e que está a aposta numa reconversão industrial e ambiental”, assegura Alejandro Ibrahim Perera, subdiretor-geral da infraestrutura aeroportuária espanhola desde 2012, um ano depois da abertura do aeroporto internacional de Beja, inaugurado em 2011.
“O ano passado, por exemplo, desmontámos 15 [aviões] Boeing 747 Jumbo, entre outros. Cerca de 95% do material extraído é reutilizado pela indústria. Esta é uma atividade de economia circular que é cada vez mais importante, porque nos próximos anos será necessário desmantelar 15.000 aviões”, sublinha. Estas declarações foram tornadas públicas no dia em que o aeroporto internacional de Beja volta a ser notícia.
Santana Lopes, presidente do partido político Aliança, afirmou ontem que “só um país muito rico é que se daria ao luxo, e mesmo aí seria estupidez, de desperdiçar uma infraestrutura como esta”. O empreendimento, que custou 33 milhões de euros, entrou em funcionamento a 13 de abril de 2011. Mas, desde o voo inaugural, apesar de aberto, tem estado praticamente vazio, s sem voos nem passageiros na maioria dos dias.
O ex-primeiro ministro, que visitou ontem o equipamento, defende, por isso, a utilização do aeroporto alentejano “como um grande centro de movimento de carga”, dando-lhe uma utilização alternativa, como os espanhóis fizeram em Teruel. “Em Portugal, há uma excelência de capacidade instalada muito conhecida que pode ser libertada do aeroporto de Lisboa e ter mais base aqui. É uma questão de vontade política”, criticou.»

artigo publicado na página de internet “Sapo
(1 Agosto 2019)

Artigos relacionados

Mais em Aeroportos, Europa (268º de 745 artigos)

«O aeroporto de Beja, que custou 33 milhões de euros e foi inaugurado há seis anos, serve quase só para estacionamento e manutenção de linha de aviões de algumas companhias aéreas, segundo a ...