pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, América do Sul, Aeroportos

Brasil – Aeroporto de Brasília vai operar com duas pistas em simultâneo

«O Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília, vai operar, a partir de novembro deste ano, com duas pistas simultâneas. Será o primeiro aeroporto da América do Sul a realizar operações paralelas simultâneas independentes. A operação aumentará a capacidade das aterragens e descolagens de 60 para 80 por hora, facilitando o controle de tráfego aéreo nos horários de pico. O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão ligado à Aeronáutica, analisou e autorizou o novo procedimento.

O terminal é o único do País com pistas paralelas a uma distância segura para realizar aterragens ou descolagens simultâneos. As pistas têm 3.300m x 45m e 3.200m x 45m, com espaço de 1,8 km entre elas. O mínimo exigido para distância entre duas pistas é de 1.025m, estipulado pela Organização da Aviação Civil Internacional (OACI). As duas pistas do Aeroporto JK têm uma distância de 50% a mais do que o mínimo requerido.

O diretor do Departamento de Gestão e Planeamento de Navegação Aérea Civil da Secretaria de Aviação Civil, Rafael Botelho Faria, explica que o procedimento é considerado de rotina e não é mais ou menos seguro do que outra operação. “O principal benefício desse tipo de operação é o de diminuir a restrição na quantidade de aeronaves que deveriam descolar ou aterrar no aeroporto numa hora-pico. Com o fim dessa restrição ganha-se rapidez no número de movimentos, que aumentam em 33% por hora, passando de 60 para 80. Assim, você permite mais ofertas de horários nos momentos de pico, além de mais infraestrutura para as companhias aéreas operarem no horário e consigam atender maior número de voos e assentos”, analisa o diretor da Secretaria de Aviação Civil.

Capacidade de voos nos principais aeroportos brasileiros

– JK (Brasília) / 60 aterragens e descolagens por hora (passará para 80 a partir de novembro)

– Galeão (Rio de Janeiro) / 48

– Guarulhos (São Paulo) / 47

– Congonhas (São Paulo) / 32-33

– Confins (Belo Horizonte) / 31
»

texto publicado na página de internet “Sac Aviação Civil”
(14 Julho 2015)

Artigos relacionados

Mais em Aeroportos, América do Sul, Ground Handling (425º de 955 artigos)

Iniciativa está sendo liderada pelo DECEA e a Concessionária Administradora do Aeroporto de Guarulhos – GRU Airport e tem como objetivo melhorar o desempenho da gestão do tráfego aéreo, bem como permitir ...