pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, América do Sul, Aeroportos

Brasil – Seminário discutirá o papel das empresas de assistência em escala na aviação brasileira

ESATAS a crescer 3,4% em 2015

A projeção de crescimento para o setor de serviços de assistência em escala, também conhecido como ground handling, pode chegar a 3,4% este ano no Brasil, de acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo (Abesata), o que indica que o setor está em constante desenvolvimento. Projetos e iniciativas para responder à procura e beneficiar da expansão deste segmento estão na programação da 1ª edição do Seminário Luggage, Handling & Catering, evento inédito realizado pela Sator em parceria com a Abesata. O encontro abordará o papel das empresas de serviços auxiliares de transporte aéreo, chamadas de ESATAS.
“As empresas de ground handling são muito importantes e têm um papel fundamental para a indústria da aviação, uma vez que a sinergia entre toda a cadeia reflete positivamente qualidade dos serviços oferecidos aos passageiros. Porém é preciso aumentar o desempenho operacional para adquirir mais eficiência nesta atividade. O Seminário Luggage, Handling e Catering tem o compromisso de trazer à tona questões deste universo para que todos os envolvidos possam refletir sobre as principais necessidades e desafios que o setor tem pela frente”, explica a diretora da Sator Eventos, organizadora do Seminário, Paula Faria.

A padronização dos procedimentos (IATA – IGOM) realizados pelos serviços auxiliares de transporte aéreo em solo, por exemplo, é uma das operações que tem sido acompanhada pela Abesata e demais órgãos da aviação para facilitar o funcionamento, aumentar a eficiência e a segurança das operações em solo.

“Graças ao auxílio dos demais elos do sistema de aviação civil, a Abesata tornou-se a entidade representativa de direito e de fato do segmento de Serviços Auxiliares, o que elevou a nossa responsabilidade em assuntos inerentes à bagagem, carga aérea, rampa, higienização/limpeza, proteção/segurança ou comissaria de bordo/catering. Diante deste cenário, nossa responsabilidade é contribuir para o sucesso do Seminário e para os caminhos promissores da infraestrutura aeronáutica. A parceria com a Sator irá potencializar o crescimento do transporte aéreo no Brasil”, destaca o presidente da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo (Abesata), Ricardo Miguel.

As ESATAS estão presentes em 70% das operações da aviação comercial.

Sobre o Seminário Luggage, Handling & Catering
O seminário faz parte da agenda Airport Infra Expo 2015 e é direcionado às empresas do segmento de Luggage, Handling e Catering, realizando debates sobre os serviços de assistência de pista no Brasil, que passam pelo percurso da bagagem no terminal do aeroporto e serviços de assistência, qualidade, riscos e danos, regulação técnica, recursos humanos, tecnologia, manutenção e automação. O seminário está sendo feito em parceria com a ABESATA – Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo.

Sobre a Sator
A Sator nasceu em 2005 como uma empresa de produção de eventos, passou a oferecer serviços de comercialização e comunicação para os eventos que organizava e, mais recentemente, descobriu-se como uma organização desenvolvedora de plataformas de negócios, que consiste em identificar, planejar e desenvolver oportunidades por meio de encontros presenciais como seminários, feiras, rodadas de negócios, mídia online e impressa. A empresa conta com uma ampla experiência na organização de eventos como a Airport Infra Expo, Labace, Latin American Business Aviation Conference & Exhibition (entre 2007 e 2009), a Feira Nacional de Aviação Civil (desde 2008) e o Broa Fly-in (2006 a 2008).

adaptação do texto publicado na página de internet “Informativo Dos Portos”
(21 Junho 2015)

Artigos relacionados

Mais em Aeroportos, América do Sul, Ground Handling (201º de 532 artigos)

As empresas de assistência em escala ground handling estão investindo continuamente para reduzir os índices de extravio de bagagem. ...