pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Europa, Aeroportos

Espanha – a AENA, operadora aeroportuária, vai ser privatizada

«O Governo espanhol aprovou a privatização de 49% do operador aeroportuário AENA, abaixo dos 60% inicialmente previstos, com 21% destinados a acionistas de referência e os restantes a negociação em bolsa.
Ana Pastor, ministra do Fomento, explicou aos jornalistas depois da reunião do Conselho de Ministros que a AENA, que se estima seja avaliada em 5.000 milhões de euros, poderá estrear-se em bolsa em novembro.
Com a redução da privatização prevista, deixando o controlo nas mãos do Estado, o Ministério do Fomento conseguiu, assim, ultrapassar algumas críticas dentro do próprio executivo.
Ao manter-se abaixo dos 50%, o Governo evita também ter de reformar a atual lei de constituição da Aena Aeroportos, aprovada pelo anterior Governo.
Segundo Ana Pastor, a operação, que vai ser iniciada formalmente em breve, terá duas fases, com 21% a serem colocados junto de acionistas de referência, incluindo ‘family office’, fundos soberanos e entidades estrangeiras.
O calendário de privatização começa com a publicação em julho do novo quadro regulador do setor aéreo, depois, até setembro, a seleção dos investidores de referência e, finalmente, em outubro, a distribuição do folheto de Operação Pública de Venda (OPV) à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV).
Pouco depois de tomar posse, em janeiro de 2012, o Governo espanhol cancelou o processo de privatização da AENA, que tinha sido iniciado pelo anterior executivo, considerando que, na ocasião, os ativos da AENA estavam muito subvalorizados.
Inicialmente, o objetivo era avançar para a privatização de 90,5% dos aeroportos das duas maiores cidades espanholas, em Madrid e Barcelona, com o PP, na oposição quando a iniciativa foi aprovada, a criticar os planos que esperam receitas de 5,3 mil milhões de euros.
Na corrida à compra dos dois ativos estiveram os consórcios da GMR Infraestruturas (Indiano), o aeroporto de Changi, de Singapura, os espanhóis da Ferrovial, os Aeroportos de Paris e os alemães da Fraport, entre outros.
O anterior governo espanhol previa também vender 49% da AENA, o operador dos aeroportos espanhóis, mas nunca iniciou o processo.»

artigo publicado na revista “Cargo Edições
(15 Junho 2014)

Artigos relacionados

Mais em Aeroportos, Europa (68º de 524 artigos)

«A Aena, gestora dos aeroportos espanhóis, propôs um investimento que rondará os 2.600 milhões de euros e que será canalizado para obras de melhoria das infra-estruturas, expansão e incremento da ...