pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Europa, Aeroportos

Madeira – A Vinci Concessions assume a totalidade do passivo da ANAM (Aeroportos e Navegação Aérea da Madeira)

«A Região Autónoma da Madeira recebeu, no ano em que comemora o 50.º Aniversário do Aeroporto da Madeira, um encaixe financeiro de 80 milhões de euros pela alineação da sua quota na empresa gestora das infra-estruturas do arquipélago.
A “prenda” de bodas-de-ouro inclui a assunção da totalidade do passivo da Aeroportos e Navegação Aérea da Madeira (ANAM), na ordem dos 200 milhões de euros, por parte da holding Vinci Concessions, que ganhou o contrato de concessão de todos os aeroportos portugueses nos próximos 50 anos. “Com a concessão dos aeroportos portugueses, o concessionário assumiu a dívida, o que nos libertou de um encargo bastante pesado”, reconheceu o presidente do governo regional, Alberto João Jardim.
Do negócio inserido no processo de privatização da ANA, esta Região Autónoma vai também beneficiar com a redução das taxas nos dois aeroportos do arquipélago, decorrente da convergência para o tarifário nacional em 10 anos e a partilha de receitas com a concessionária. A ANAM vai ainda beneficiar de uma operação harmónio para reforçar o seu capital por parte da ANA, detida pela francesa Vinci, que garante a injecção de 90 milhões de euros a serem investidos nos aeroportos da Madeira e do Porto Santo.
O anterior contrato de concessão entre a Região Autónoma e a ANAM (empresa de capitais exclusivamente públicos, dos quais a ANA detinha 70%, a Madeira 20% e o Estado Português 10%) terminava em 2033. Com a celebração em 2013 do novo contrato com a Vinci, o prazo foi alargado para até 2062, terminando em vésperas do aeroporto celebrar o seu primeiro centenário.
A primeira pista de aterragem do então Aeroporto de Santa Catarina, com 1600 metros de extensão, foi inaugurada pelo Chefe de Estado, almirante Américo Thomaz, a 8 de Julho de 1964. Posteriormente esta infra-estrutura veio a beneficiar de desenvolvimentos, como a construção do projecto de segurança, a ampliação da pista dimensionada para voos intercontinentais e da placa de estacionamento de aeronaves para a sua actual configuração, bem como o novo terminal, com capacidade para receber 3,5 milhões de passageiros por ano, inaugurado em 2002.

Parte: 1 2

Artigos relacionados

Mais em Aeroportos, Europa (403º de 874 artigos)

«A ANA –Aeroportos de Portugal (do grupo francês Vinci) vai investir 55 milhões de euros no aeroporto do Porto para reforço da segurança e fluidez no despacho de bagagens e iniciar em 2018 a ...