pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, Europa, Aviação Comercial

A Globalia, grupo espanhol, se comprar a TAP manterá o hub de Lisboa

Air Europa, Halcon

«O presidente do grupo espanhol, um dos candidatos à compra da companhia de aviação, garante que vai manter a marca TAP se ganhar a privatização.
O bom filho à casa torna. Assim será com a Globalia se comprar a TAP, numa privatização que tarda em descolar. O grupo espanhol, que até 2008 foi sócio da companhia de aviação nacional no negócio do handling, aguarda por fumo branco para dar o próximo passo. Juan José Hidalgo, fundador e presidente da Globalia, não se cansa de dizer que cabe ao Governo dar o tiro de partida. “Tem de decidir o que quer fazer”, afirma o empresário. Para acalmar os receios, garante que manterá o hub (placa giratória) de Lisboa, bem como a marca TAP. Quanto à actual equipa de gestão, com a qual entrou em conflito no passado, deixa por responder a pergunta sobre a sua manutenção aos comandos da empresa.

Foi o Governo que convidou a Globalia a participar na privatização da TAP?
O meu filho encontrou-se em Lisboa com um membro do Governo, que perguntou se tínhamos interesse em olhar para a TAP. Respondemos que sim. Aliás, até manifestámos esse interesse por escrito para confirmar que temos vontade de discutir este tema e de analisar a compra da companhia.

Quando fizeram chegar ao Governo esta garantia por escrito?
Foi próximo do jogo da final da Liga dos Campeões em Lisboa [que ocorreu a 24 de Maio], porque o meu filho estava em Portugal nessa altura.

E por que está a Globalia interessada na TAP?
Pode dar-nos um crescimento importante, porque a TAP e a Air Europa juntas teriam uma frota de mais de 100 aviões, passando a ser uma das transportadoras aéreas mais importantes da Europa. E a localização do aeroporto de Lisboa, onde a TAP tem o seu hub, é imbatível nas ligações entre a Europa e a América Central e do Sul. É um activo muito importante.

Parte: 1 2 3

Artigos relacionados

Mais em Aviação Comercial, Europa, Ground Handling (49º de 1129 artigos)

Se os governos dos vários países não injetarem rapidamente dinheiro nas companhias aéreas, metade delas não irão sobreviver à crise. E estamos a falar de um universo de mais de 300 transportadoras, que ...