pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Tráfego Aéreo, Europa, Aviação Comercial

EUA definem enquadramento legal para voos comerciais com drones

«O organismo que regula a aviação comercial nos Estados Unidos lançou as bases daquele que será o enquadramento legal norte-americano para a utilização comercial de drones nos céus do país. De acordo com as definições publicadas este domingo, as aeronaves podem pesar até 22 quilos. Não devem voar acima dos 500 pés e não podem ultrapassar uma velocidade de 160 Km/h. Só podem voar durante o dia e dentro do ângulo de visão de quem opera o dispositivo, regras que embora abram caminho à utilização comercial de drones, limitam a utilização deste tipo de dispositivos para tarefas como a entrega de encomendas, por exemplo.
A proposta apresentada pela FAA (Federal Aviation Administration) define ainda que será proibida a circulação dos drones no meio de pessoas, a não ser que esteja inserida numa atividade a realizar especificamente nesse contexto. São igualmente fixados critérios relacionadas com a experiência e a formação: uma operação comercial de drones deve ser suportada por alguém com, pelo menos, 17 anos de experiência, que terá de se submeter a um teste aos seus conhecimentos aeronáuticos e obter um certificado da FAA.
Um administrador da FAA disse entretanto que o organismo tentou ser flexível quando definiu as novas regras, mas sublinhando que a prioridade é “manter o nível extraordinário de segurança da aviação que existe hoje em dia, sem fixar limites legais intransponíveis numa indústria emergente”.
A Association for Unmanned Vehicle Systems International tem sido um dos dos grandes veículos da indústria para criar um lobby a favor da regulação do mercado. Nos números que tem usado como argumentos garante que a criação de um quadro regulamentar que autorize a utilização de drones para fins comerciais vai criar mais de 70 mil postos de trabalho e gerar um impacto positivo na economia americana de 13,6 mil milhões de dólares.
A proposta apresentada pela FAA este domingo vai entrar em consulta pública durante um período de 60 dias. Depois dessa data será publicada.
A Amazon, que tem vindo a testar um serviço de entregas, já comentou o documento lançado pela FAA, adiantando que não vai desistir de lançar o serviço Prime Air, garantindo que está pronta para avançar com o lançamento assim que tenha autorização para tal.»

artigo publicado na página de internet “Tek.sapo”
(16 Fevereiro 2015)

Artigos relacionados

Mais em Aviação Comercial, Europa, Tráfego Aéreo (333º de 807 artigos)

«A OMC – Organização Mundial do Comércio considerou ilegais as ajudas que o governo dos Estados Unidos concedeu à Boeing em 2013, de forma a garantir a fixação no país de uma fábrica da ...