pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Aviação Comercial, América do Sul

Évora – Embraer reforça investimento

«A fabricante brasileira de aviões vai alargar a área de produção da sua fábrica que já está em funcionamento em Évora, reforçando assim o investimento em Portugal.
A Embraer em Portugal não vai só participar na construção do avião militar da empresa brasileira, o KC-390, e do Legacy 450/500, como vai entrar num novo programa para o desenvolvimento dos jactos E-Jets E2, adiantou a empresa em comunicado.
A Embraer Portugal Estruturas Metálicas S.A. “deu início nos últimos dias de Agosto aos trabalhos de construção civil que levarão a um aumento da sua área industrial coberta, passando esta de 37.100 metros quadrados para 38.700 metros quadrados”, acrescentou a mesma fonte.
Este anúncio agora feito vem confirmar a intenção que a empresa já havia manifestado em Junho último, aquando da visita de António Pires de Lima, ministro da Economia, à sede da Embraer no Brasil.
O vice-presidente da Embraer para a Engenharia e Tecnologia, Mauro Kern, na época disse que este seria um plano “lá mais para frente”, uma vez que Évora “é completamente adequada”.
Estes novos jactos fazem parte da segunda geração dos E-Jets. Que será composta por três novos aviões – E175-E2, E190-E2 e E195-E2. O E190-E2 deverá entrar em serviço no primeiro semestre de 2018. O E195-E2 está programado para entrar em serviço em 2019 e o E175-E2 em 2020, como noticiou a Imprensa brasileira.
Os aviões terão capacidade para 88, 106 e 132 passageiros, respectivamente.
A Embraer estima que o investimento total para o desenvolvimento dos novos modelos dos E-Jets E2 será de 1,7 mil milhões de dólares, durante os próximos oito anos.
A Embraer prevê uma procura de 6.400 aviões comerciais com capacidade de até 130 lugares ao longo dos próximos 20 anos. Com mais de 1.200 encomendas de E-Jets, a Embraer detém 42% do mercado em seu segmento, segundo a mesma fonte.
As duas fábricas da Embraer, a terceira maior construtora aeronáutica do mundo, começaram a laborar em Julho de 2012 e foram inauguradas a 21 de Setembro.
As unidades, uma de estruturas metálicas (parte de asas) e outra de materiais compósitos (componentes para caudas), representaram um investimento de quase 180 milhões de euros.
Na fábrica de estruturas metálicas são construídas as asas do avião executivo Legacy 500 e revestimentos de asa do KC-390 e, posteriormente, também a empenagem vertical da nova aeronave militar.»

Ana Torres Pereira, artigo publicado no “Jornal de Negócios
(29 Agosto 2014)

Artigos relacionados

Mais em América do Sul, Aviação Comercial (127º de 463 artigos)

«A construtora aeronáutica Embraer já tem em curso os dois novos projetos de investimento nas fábricas de Évora, num valor global de 93,6 milhões de euros, com apoios comunitários, revelou esta ...