pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Europa, Aviação Comercial

Privatização da TAP – Conselho de Ministros, de 15 de janeiro de 2015, aprova caderno de encargos

«O Conselho de Ministros aprovou o caderno de encargos do processo de reprivatização indireta do capital social da TAP – Transportes Aéreos Portugueses, sendo estabelecidos os critérios de seleção dos candidatos à aquisição de ações.

Esta decisão é tomada – na sequência da aprovação do processo de reprivatização por venda direta de referência de até 61% das ações representativas do capital social da TAP SGPS, S.A., e de uma oferta de venda destinada aos trabalhadores de até 5% do capital social.
A venda direta de referência compreende a alienação, pela Parpública, por negociação particular, de um ou mais lotes indivisíveis de ações representativas do capital social da TAP SGPS, S.A., a um ou mais investidores nacionais ou estrangeiros, individualmente ou em agrupamento.
Entre as exigências constantes do caderno de encargos hoje aprovado, está a contribuição para o reforço da capacidade económico-financeira da TAP SGPS, S.A., e da TAP, S.A., e da sua estrutura de capital, bem como a assunção de compromissos de estabilidade laboral.
É também exigida a garantia de execução de um projeto estratégico, tendo em vista a preservação e promoção do crescimento da TAP, S.A., com a manutenção da integridade, identidade empresarial e autonomia do Grupo TAP, conservando a marca TAP e a sua associação a Portugal e assegurando que a sede e a direção efetiva do Grupo TAP continuam a estar localizadas em Portugal, valorizando e desenvolvendo os seus recursos humanos. Será também avaliada a contribuição do projeto para o crescimento da economia nacional, incluindo o desenvolvimento do atual hub nacional, como plataforma estratégica nas relações entre a Europa, África e a América Latina.
Os candidatos à reprivatização da TAP estão ainda vinculados ao cumprimento das obrigações de serviço público, incluindo no que respeita às ligações aéreas entre os principais aeroportos nacionais e as Regiões Autónomas, bem como a continuidade e reforço das rotas que sirvam as Regiões Autónomas, a diáspora e os países e comunidades de expressão ou língua oficial portuguesa.
Será tida em conta a experiência técnica e de gestão no sector da aviação, a sua idoneidade e capacidade financeira.
As acções a alienar no processo de privatização ficaram sujeitas a um período de indisponibilidade de 5 anos.

Comunicado do conselho de ministros de 15 de janeiro de 2015

»

texto publicado na página de internet “Governo de Portugal”
(15 Janeiro 2015)

Artigos relacionados

Mais em Aviação Comercial, Europa (108º de 547 artigos)

«A TAP deve pôr em marcha um “programa ambicioso” para poupar entre 150 a 200 milhões de euros até 2020, defende a consultora Boston Counsulting Group, que identificou vários caminhos para ...