pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, Europa

Aeroporto de Lisboa – desativação do Aeródromo de Trânsito n.º 1 (AT1) da Força Aérea

A deslocalização da área militar, Aeródromo de Trânsito n.º 1 (AT1) da Força Aérea, conhecida por base aérea de Figo Maduro, do aeroporto de Lisboa vai implicar alterações ao contrato de concessão com a ANA/Vinci, que serão feitas por uma comissão de negociação, disse esta quarta-feira o ministro das Infraestruturas.
“A saída de Figo Maduro do atual perímetro do Aeroporto Humberto Delgado implicará uma comissão de negociação com a ANA, para alterar o contrato de concessão por incorporação de novos ativos“, disse aos jornalistas o ministro das Infraestruturas, João Galamba, em declarações à margem do GreenPort Congress & Cruise, em Lisboa.
Relativamente a Figo Maduro, João Galamba disse que o Governo está a trabalhar já há alguns meses nesta matéria, tendo como perspetiva efeitos “no curto prazo”, independentemente do tempo que levar a comissão de negociação a consagrar as alterações no contrato de concessão. A ideia do Governo, explicou o ministro, é que sejam já tomadas algumas medidas, sendo para isso criada “uma comissão mais operacional”, independente da comissão de negociação, “que no imediato pudesse ir libertando áreas que pudessem já ser libertadas”.
João Galamba prometeu detalhes sobre todas as medidas a tomar naquela infraestrutura para mais tarde, mas explicou que se trata de obras que já estavam previstas, e a que ANA está obrigada no contrato de concessão, mas que não tinham reunidas as condições para que pudessem avançar, pelas perturbações que essas intervenções iam criam na operação do aeroporto, e que podem agora ser realizadas com a saída de Figo Maduro.
“É o chamado Pier Sul, uma extensão do Terminal 1, que tem como grande impacto aumentar a área do terminal, mas sobretudo aumentar o número de mangas no terminal e novas placas de estacionamento na zona do AT1 e reduzir a circulação de autocarros com passageiros, que gera emissões dentro do aeroporto, que introduz perturbações e também prejudica o próprio serviço prestado aos passageiros.

 

Artigos relacionados

Mais em Europa, Ground Handling (93º de 1418 artigos)

O governo dos Países Baixos avançou, com planos controversos para cortar voos do aeroporto de Amesterdão Schiphol (AMS) para conter a poluição sonora em torno de um dos centros aéreos mais movimentados da ...