pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, América do Sul

Assistência em Escala no Brasil – Abesata/CRES projeto com visibilidade mundial

CRES (Certificado de Regularidade das Empresas em Solo) Ground Handling, 10 empresas certificadas e com presença em 65 aeroportos brasileiros, o CRES avança para uma nova fase. Construir parcerias com os aeroportos para que valorizem a contratação de empresas certificadas. Não apenas nos próprios contratos, mas também levem isso para as companhias aéreas. “Queremos elevar o padrão de qualidade da prestação de serviços em solo em todo país”, disse o presidente da Rede VOA. Na ocasião do Road Show, realizado em 25 de maio na sede da Abesata, o presidente da Rede VOA assinou um memorando de intenção de valorizar os detentores do CRES nos 16 aeroportos sob sua administração. Aeroporto de Salvador Estrategicamente escolhido, o aeroporto de Salvador, administrado pela Vinci Airports, vai sediar um evento de assinatura da parceria no dia 19 de junho. Ocasião em que empresários, autoridades e convidados também serão levados para um tour pelo aeroporto para conhecer alguns dos projetos de sustentabilidade. Aeroporto de Viracopos A terceira administração aeroportuária escolhida para o acordo de parceria com o objetivo de incentivar a contratação de empresas certificadas com CRES é o de Campinas. Viracopos experimentou um crescimento expressivo nos últimos anos, não só em movimentação de passageiros, mas também de carga. A assinatura do acordo será dia 21 de junho, exatamente na data comemorativa de um ano do lançamento do CRES. Lançamento completa um ano com visibilidade mundial Depois de um processo de maturação de quase cinco anos, o CRES foi lançado oficialmente em junho do ano passado, em um evento em Brasília. Na ocasião, foram anunciados os nomes das primeiras empresas certificadas: Proair, dnata, Swissport e Orbital. De lá para cá, as Esatas certificadas saltaram para dez, com mais dois atualmente em processo de certificação, e a cobertura nacional, ou seja, aeroportos, aeronaves, passageiros ou cargas aéreas atendidos por empresas com CRES saltou para 74%. Mais do que isso, o projeto ganhou visibilidade mundial. Foi apresentado pela ANAC em Montreal, na Assembleia Geral da Organização de Aviação Civil Internacional – ICAO, como um “case” a ser observado e expectativa de sucesso. Agora, o Brasil vai apresentar o CRES em Atenas, no 2o ASA Leadership Forum, em setembro. A Anac ou a Abesata vão lidar sobre o assunto na oportunidade do painel do dia 21, com o tema “The Strange Case of Ground Handling Oversight”.

Fonte – Abesata

Artigos relacionados

Mais em América do Sul, Ground Handling (24º de 1052 artigos)

Durante o fórum da ALTA (Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo), realizado em Cancún, no México, o programa de certificação do Brasil, o CRES (Certificado de Regularidade em ...