pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, América do Sul

Brasil – As Esatas projetam em 2015 crescimento nos mesmos níveis da aviação comercial

A IATA (International Air Transport Association) anunciou que o resultado da aviação comercial foi positivo em abril, quando comparado com o mesmo período do ano passado. De acordo com a IATA, o total de quilómetros percorridos mundialmente pelos passageiros cresceu 5,9%. A procura de voos domésticos subiu 7,2% e internacionais, 5,2%. A única queda constatada foi na taxa de ocupação das aeronaves, que caiu 0,1 pontos percentuais, passando agora para 79,4%.
“Mesmo com um cenário global positivo na aviação comercial, para o segmento de ground handling no Brasil o momento é de cautela”, disse Ricardo Aparecido Miguel, presidente da Abesata (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares do Transporte Aéreo). As empresas do setor no país crescem ao mesmo ritmo da aviação comercial, ou seja, na casa dos 6% ao ano, e com a recessão económica, nada deve ser diferente disso em 2015.
“Novos nichos de mercado, como as salas VIP, e outros setores, como a aviação executiva, abriram novas possibilidades para as chamadas Esatas, as empresas de serviços auxiliares do transporte aéreo, mas a entidade não acredita em expansão dos negócios em 2015”, explicou Miguel.
Já no âmbito global, segundo Tony Tyler, diretor geral da IATA, apesar da alta do dólar, os números positivos mostram que a procura por transferências no mundo continua forte.
“No geral obtivemos boas notícias, mas percebemos que a performance da indústria ao redor do mundo está bastante segmentada. Enquanto o número de quilómetros percorridos no Oriente Médio, na Ásia e no Pacífico cresceram acima da média, na Europa e na América do Norte obtiveram uma queda”, pontuou.
Apesar da retração da economia brasileira, as companhias aéreas da América Latina registaram uma subida de 6,3% no tráfego em relação a abril de 2014. No entanto, a taxa de ocupação caiu 0,7 pontos percentuais, passando agora para 77,7%, de acordo com os dados da IATA.

Esatas (Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo)
No Brasil, as chamadas Esatas (Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo) estão presentes em 70% das operações da aviação comercial, seja na realização de serviços operacionais (abastecimento de água, catering, carregamento de bagagem etc), serviços de proteção, serviços de emergência e serviços comerciais. Os dados fazem parte do levantamento do 1.° Anuário Brasileiro de Serviços Auxiliares de Transportes Aéreos, lançado no fim do ano passado.
Ao todo existem hoje 211 empresas de Esatas no Brasil, sendo que a maior parte está em São Paulo, 70 companhias, seguido de Minas Gerais, com 45, Rio de Janeiro, 36, e Rio Grande do Sul, com 31 empresas do setor. A maioria se concentra na prestação de serviços operacionais para as empresas aéreas regulares, 147 empresas, mas muitas estão envolvidas com outros serviços, tais como atendimento de aeronaves (60), limpeza de aeronaves (50), movimentação de carga (50), atendimento e controle de embarque de passageiros (38), entre outros.

Artigos relacionados

Mais em América do Sul, Ground Handling (151º de 406 artigos)

«Ao todo 16 alunos vieram ao Brasil para visitar empresas, universidades e produzir uma publicação académica com o resultado das pesquisas. ...