pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, América do Sul

Brasil – GRU Airport e Abesata discutem segurança operacional “safety”

Os gerentes de segurança operacional “safety” e diretores de operações das Esatas ( Empresa de serviços auxiliares ao transporte aéreo) que atuam em Guarulhos e noutros aeródromos estiveram reunidos

quarta-feira (24.01) na sede da Abesata para falar de segurança operacional. Claudio Terry, gestor de segurança operacional de GRU Airport, fez uma apresentação do programa de parceria que pretendem desenvolver para prevenir os chamados “eventos fora do padrão”, ou seja, incidentes durante a operação em solo/assistência em Terra. Para isso, Terry apresentou um novo critério de pontuação das empresas com base no número de não conformidades. A ferramenta apresentada será utilizada por GRU Airpot mas Terry recomenda que as Esatas apliquem esse mesmo critério na vistoria interna de sua própria empresa.
Os atendimentos são avaliados de acordo com um check list/safety audit, em uma espécie de inspeção, a fim de verificar irregularidades. “A ideia é levar adiante os conceitos de prevenção, aproveitando o próprio esforço de cada Esata em termos de treinamento e capacitação de mão de obra”, disse Terry.
O evento foi importante também para a troca de ideias e de experiências. Os gestores das empresas de ground handling puderam apontar problemas que enfrentam no dia a dia e sugerir melhorias. “Queremos que os outros aeroportos sigam o mesmo exemplo de GRU Airport e chamem as empresas de serviços auxiliares para trabalharem juntos”, disse Ricardo Aparecido Miguel, presidente da Abesata. Para ele, o caminho do sucesso da administração aeroportuária está na proximidade com as empresas de ground handling, pois são os colaboradores das companhias que estão à frente das operações todos os dias.

Fonte: Abesata

Artigos relacionados

Mais em América do Sul, Ground Handling (23º de 493 artigos)

A ABESATA (Associação Brasileira das Empresas de Serviços Auxiliares de Transporte Aéreo) foi criada há quase cinco anos para que o segmento de assistência em escala/ground handling ganhasse ...