pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, África

Cabo Verde – TAP transportou em 2022 de e para Cabo Verde 385 mil passageiros

«A companhia aérea portuguesa TAP transportou de e para Cabo Verde 385 mil passageiros em 2022, mais 65% face ao ano anterior. De acordo com o relatório anual sobre o movimento de passageiros nos quatro aeroportos internacionais do arquipélago, o número de passageiros cresceu de 542.488 em 2021 para 1.683.160 em 2022, um aumento de 210%.  A transportadora aérea portuguesa TAP, que em 2021 tinha garantido quase metade dos passageiros movimentados em voos internacionais de e para o arquipélago, transportou no ano passado 384.399 passageiros, contra os 233.799 no ano anterior, mantendo-se na liderança entre as operadoras de carreiras regulares em Cabo Verde. Destes, 171.579 passageiros foram registados de e para o Aeroporto Internacional Nelson Mandela, na capital cabo-verdiana, com a TAP a registar mesmo uma quota do movimento total superior a 55%. A TAP também liderou no Aeroporto Internacional Cesária Évora, ilha de São Vicente, com 79.287 passageiros movimentados e uma quota de 74,1%, ficando em segundo lugar no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal, com 113.043 passageiros e uma quota de 12,8%
Na ilha da Boa Vista, a TAP movimentou 20.490 passageiros, ocupando o sexto lugar, com uma quota de 5,4%.
“Em todos os aeroportos, a grande maioria das operadoras internacionais já opera à semelhança de 2019, algumas até com mais tráfego que em 2019”, refere-se no relatório da ASA.
O movimento de passageiros nos aeroportos reconhece ainda a empresa estatal, “tem aumentado gradualmente, tendo no final do ano registado um volume de passageiros internacionais próximo de valores do ano de 2019”. A nível internacional, os aeroportos do Sal e da Boa Vista, as duas ilhas mais turísticas de Cabo Verde, “já lideram em número de passageiros movimentados, sinais claros da retoma do turismo, tendo movimentado cerca de 883 mil e 382 mil passageiros, respetivamente”. “Os principais destinos europeus foram retomados, estando a ser operados pelas companhias líder (TUI e TAP), caminhando a passos largos para os números alcançados em 2019, antes da suspensão das atividades nos aeroportos no início de 2020”, aponta ainda o documento.
O Governo cabo-verdiano atribuiu em 2022 a concessão dos aeroportos e aeródromos do país — atualmente a cargo da empresa pública ASA – à sociedade Vinci Airports SAS, por um período de 40 anos, num negócio em que o Estado vai receber 80 milhões de euros, além de bónus das receitas brutas. A ANA – Aeroportos de Portugal vai ter 30% das participações na sociedade de direito cabo-verdiano criada para celebrar o contrato de concessão, que ainda não foi assumido pela multinacional francesa.»

Artigos relacionados

Mais em África, Ground Handling (10º de 1060 artigos)

A Cabo Verde Airports, grupo Vinci, vai iniciar, em abril, obras nos principais aeroportos do arquipélago que deverão causar constrangimentos às operações, anunciou a empresa “Iniciaremos já no mês de ...