pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, Europa

Carga aérea – a Transitex e o transporte aéreo

A Transitex foi fundada em 2002 em Badajoz, com o objetivo de alargar o hinterland do porto de Lisboa. Sob a liderança de Fernando Lima, a empresa prosseguiu desde então um plano de expansão global, que a levou aos quatro cantos do mundo, com especial incidência na Europa, África Austral e América Latina. Em 2016, passou a integrar a holding Yilport.
“A Transitex bateu no fundo, mas vai reerguer-se mais saudável, mais sábia, mais inteligente”, garante Robert Yildirim, que chamou a si a liderança da empresa portuguesa.
“Cometemos um erro quando comprámos a Tertir e decidimos manter a Transitex independente [do negócio portuário] da Yilport”, recorda Robert Yildirim. Com o passar dos anos, diz, a Transitex não desenvolveu sinergias, nem com a holding portuária, nem com os demais negócios do grupo Yildirim. Uma situação que se terá tornado mais evidente durante a pandemia, quando os operadores logísticos ganharem notoriedade – e dinheiro – com a disrupção das cadeias logísticas. Agora detida a 100% pela Yilport, e sob sua a liderança pessoal, Robert Ylidirim fala na reestruturação integral da Transitex, a começar por um aumento de capital de oito milhões de euros e pelo desenhar de um novo business plan a cinco anos, para começar a ser implementado em 2024. O empresário promete uma Transitex “mais proactiva” a aproveitar as sinergias, desde logo com a Yilport, mas também “com a CMA CGM [de que Robert Yildirim é acionista de referência, com uma posição de 30%] e a CEVA, se necessário”. Sem descartar possíveis ligações com outras companhias, como a Maersk ou a Hapag-Lloyd. “Não é o que sabes; é quem conheces”, sublinha.
“Vamos rever os negócios da Transitex em Portugal, Espanha, Bélgica, Holanda, Suécia, Noruega, Itália e Turquia”, diz. “Vamos mudar a mentalidade e a maneira de fazer negócio”, reforça, dando o exemplo de investimentos recentes do grupo Yildirim em duas fábricas de fertilizantes, na Bélgica/Holanda e na Croácia, que representarão um movimento de 2,5 milhões de toneladas anuais, operação em que a Transitex passará a estar envolvida.

 

Artigos relacionados

Mais em Europa, Ground Handling (30º de 1408 artigos)

O Aeroporto Internacional Adolfo Suárez/Madrid-Barajas (MAD) vai aumentar a sua capacidade em 28% até 2031, para 90 milhões de passageiros anuais, na sequência de um investimento de 2.400 milhões de ...