pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, Europa

Ground Handling – Os aeroportos portugueses receberam 55,3 milhões passageiros em 2018

Os aeroportos portugueses, geridos pela ANA, receberam 55,3 milhões de passageiros em 2018, o que representa uma subida de 6,8% face ao ano anterior.

De acordo com os dados divulgados pelo grupo francês Vinci (que detém a ANA), a subida mais expressiva ocorreu no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, que cresceu 10,7% e atingiu os 11,9 milhões de passageiros. O Aeroporto Humberto Delgado subiu 8,9% e chegou aos 29 milhões de passageiros – um novo recorde, diz a empresa, que foi atingido “apesar das limitações de espaço” na Portela. O Aeroporto de Lisboa detém um peso de 52% do total de passageiros que transitam nos aeroportos nacionais geridos pelo grupo.

Investimento em Lisboa
O Aeroporto Humberto Delgado (AHD), considerado saturado nos actuais moldes, vai ser alvo de vários investimentos nos próximos anos, ao mesmo tempo que se avança com o aeroporto complementar do Montijo. Na sequência do que ficou acordado entre o Governo e a ANA, serão aplicados 650 milhões de euros para a extensão do AHD, e outros 520 milhões irão para o Montijo (a que se somam mais cerca de 160 milhões para acessibilidades e para pagar o necessário redimensionamento da Força Aérea). Ao todo, são esperados mais de 50 milhões de passageiros por ano.
No caso do Montijo o aeroporto deverá estar pronto em 2022, mas falta ainda conhecer o novo estudo de impacto ambiental e respectiva avaliação.

Já em relação ao AHD, uma das prioridades é o encerramento da pista secundária, a 17/35. A estratégia passa por ter mais saídas rápidas, melhoria dos taxiways (acessos à pista) mais ligações aos aviões por manga, mais estacionamentos, e pela ampliação do terminal 1, entre outros aspectos.

Taxas a subir a partir de 5 de Março
Novas taxas reguladas de tráfego e assistência em escala para os aeroportos do Porto e de Faro. No caso do Porto, a subida média é de 1,4%, com a receita absoluta por passageiro a subir 11 cêntimos, enquanto em Faro a subida é de 1,49%, mais 12 cêntimos por passageiro.
No caso do aeroporto de Lisboa, a variação média acabou por se situar nos 1,44%, com o aumento da receita regulada por passageiro a subir 16 cêntimos.
Também as infra-estruturas aeroportuárias da Madeira e dos Açores, que pertencem ao chamado grupo de Lisboa, vão sofrer aumentos a 5 de Março (Beja também faz parte, mas não irá haver qualquer variação). As subidas serão de 0,01% na Madeira e de 1,38% nos Açores.
Para a ANA, as evoluções absolutas propostas para o grupo de Lisboa “não constituem qualquer variação tarifária excessiva”, situando-se abaixo do cálculo da taxa de inflação aplicada no modelo de regulação (que dá 1,8%), e “não comprometem a actividade” destes aeroportos “nem a respectiva competitividade tarifária”.

Luís Villalobos, adaptação do texto publicado na página de internet “Público
(11 Janeiro 2019)

Artigos relacionados

Mais em Europa, Ground Handling (49º de 873 artigos)

Os aeroportos portugueses registaram um aumento de 7,2% no número de passageiros no primeiro semestre deste ano, atingindo um total de 27,4 milhões, ...