pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Ground Handling, Europa

Grupo Vinci – resultados no terceiro trimestre de 2021

O tráfego de passageiros nos aeroportos portugueses geridos pela ANA cresceu 92,8% no terceiro trimestre para os 10 milhões de passageiros, em comparação com o mesmo período de 2020.

Face a 2019, estes números ainda estão mais de 45% abaixo. Em Lisboa movimentaram-se 4,6 milhões de passageiros, um crescimento de 115% entre os mesmos trimestres.
“A Vinci Aeroportos, tendo notado uma recuperação gradual no tráfego depois de um difícil início do ano, agora espera que os números dos passageiros em 2021 sejam muito próximos do nível de 2020”, lê-se no mesmo documento.
A Vinci, que em Portugal detém a gestora de aeroportos ANA, conseguiu obter receitas de 13,2 mil milhões de euros no terceiro trimestre de 2021, superando a faturação obtida nos mesmos meses em 2020 e também em 2019.
Face a 2020, o ano atípico da pandemia, as receitas da Vinci cresceram 7,8% no terceiro trimestre e, quando comparadas a 2019, nota-se um ligeiro aumento de 0,8%. “Estes números confirmam o bom momento – já observado na primeira metade de 2021 – na maioria dos negócios da Vinci em França e no estrangeiro”, lê-se no documento partilhado pela empresa esta terça-feira, com os resultados.
A construção foi a atividade que mais faturação rendeu à Vinci: 7 mil milhões entre julho e setembro, mais do que nesses meses de 2020 e de 2019. Em segundo lugar, destacam-se os investimentos em energia, que resultaram em receitas de 3,7 mil milhões de euros no mesmo período, também com uma evolução positiva face aos períodos homólogos.
As concessões da Vinci valeram-lhe 2,2 mil milhões de receitas no terceiro trimestre deste ano, mais 17,2% que em 2020, mas 15,2% abaixo de igual período de 2019.
O negócio das autoestradas entregou a maior fatia dentro deste setor, 1,8 mil milhões, enquanto os aeroportos foram responsáveis por 407 milhões do total, nos mesmos três meses. Enquanto as autoestradas mostram melhorias (de 4,8%) face às receitas colhidas em 2019, os aeroportos ainda mostram uma quebra relevante, de 54,6%, olhando para os meses entre julho e setembro.

Artigos relacionados

Mais em Europa, Ground Handling (111º de 1125 artigos)

«O director-geral da Organização Europeia para a Segurança da Navegação Aérea (Eurocontrol), Eamonn Brennan, abordou a problemática da afetação do sector da aviação no contexto da crise ...