pista73.com

conteúdos de aviação comercial

Inicio

Notícias

Companhias aéreas admitem abandonar aeroportos portugueses

nw-VINCI-Aeroportos

«As companhias aéreas admitem abandonar ou reduzir a ocupação nos aeroportos portugueses, devido ao aumento das rendas e taxas, segundo a RENA ¿ Associação Representativa das Empresas de Navegação, que solicitou audições com a ANA e o Ministério da Economia.
«Os recentes aumentos das taxas e rendas, em contra ciclo com o mercado, nos aeroportos estão a preocupar os membros da RENA. Alguns equacionam mesmo abandonar ou reduzir os espaços nos principais aeroportos portugueses», denunciou a associação representativa de companhias como a Air France, a Iberia, a Lufthansa e a TAP.
Em comunicado citado pela Lusa, a RENA considerou que se trata de «um aproveitamento claro do monopólio, por parte da ANA, que é completamente incomportável na estrutura de custos das companhias aéreas».
Há uma semana, a Lusa noticiou que a Groundforce se recusa a pagar o aumento das rendas nos aeroportos de Lisboa e do Porto, propondo uma reafetação dos espaços para reduzir o valor, que este ano aumentou cerca de 3%.
Para a associação, «a redução ou encerramento de rotas será uma consequência natural desta política» de preço que considerou «completamente descabida e inadequada a situação do mercado e do país».
Neste sentido, a RENA já solicitou já solicitou uma audiência à Administração da ANA e ao ministro da Economia, a quem apresentou a posição das companhias sobre este dossier.
O presidente da RENA, Paulo Geisler, defendeu que «este novo modelo sacrifica totalmente a posição dos operadores atuais e futuros dos aeroportos em detrimento dos interesses do concessionário».
Fonte oficial da ANA confirmou na semana passada à Lusa que, no início do ano, foi implementado um aumento de 3,3% das taxas designadas outras taxas de natureza comercial para todos os operadores de handling – Groundforce e Portway -, tendo como referência a taxa de inflação do Instituto Nacional de Estatística (INE), publicada em junho passado.»

artigo publicado na página de internet “Tvi24”
(4 Fevereiro 2013)

Artigos relacionados

Mais em Notícias (779º de 779 artigos)

As taxas de tráfego e assistência em escala vão subir 1,2% em Lisboa, 8,15% no Porto e 16,2% em Faro a 1 de janeiro de 2022. A ANAC aprovou a atualização proposta pela ANA para 2022, fazendo notar as ...